Quais os tipos de adestramento de cães?

Adestrando cão
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Ao contrário do que muitos pensam, o adestramento é bem aceito pela maioria dos animais e oferece, quando feito por pessoas qualificadas, maior qualidade de vida e bem-estar.

Quem já teve um cachorro “arteiro” sabe que, embora a situação seja engraçada, os efeitos de tanta liberdade podem ser desastrosos: além de destruir objetos de valor, o bichinho pode passar mal ao engolir algo que não devia, machucar-se com instrumentos pontiagudos e, às vezes, manifestar comportamentos agressivos com pessoas e outros animais.

Cachorro feliz é aquele que tem liberdade, claro, mas que também conheça limites. E isso não é maldade, acredite: assim como ensinamos às nossas crianças que é preciso respeitar o espaço e pertences dos outros, devemos deixar nossos bichinhos cientes do que podem ou não fazer.

Há pets que aprendem rápido, sem qualquer auxílio profissional. Outros, no entanto, podem precisar de adestramento. Existem diferentes tipos de adestramento. Falaremos mais sobre eles a seguir.

Reforço positivo: o preferido

O nome já é bastante promissor, não é verdade? No reforço positivo, a ideia é valorizar os momentos em que o pet acerta, fazendo com que ele associe determinadas atitudes a elogios, carinhos, brincadeiras e mesmo a petiscos. Com o passar do tempo, mesmo que ele não ganhe nada quando acertar, ele estará condicionado a entender que agiu corretamente.

Em outras épocas, os instrutores utilizavam o chamado reforço negativo. Trata-se de um método que felizmente caiu em desuso e que não é recomendado pela maior parte dos profissionais, uma vez que pode causar traumas nos bichinhos e gerar ainda mais agressividade. Não é preciso machucar, agredir ou ameaçar para ensinar!

Dito isso, existem categorias de adestramento canino, que variam de acordo com o tempo e evolução do bicho no processo. Os comandos básicos, que geralmente incluem dar a pata, sentar ou “fingir de morto”, podem ser ensinados em casa. Nem todos os tutores têm tempo para isso, então o adestramento básico externo é uma opção.

Outros tipos de adestramento: conheça

O adestramento básico, como já comentamos, consiste em ensinar ao pet comandos básicos, que podem ser utilizados no cotidiano, além de mostrá-lo os comportamentos que podem ser assumidos e os que devem ser evitados. O “não” e o “sim” ficam bem claros nessa primeira etapa.

No adestramento avançado, a situação muda um pouco de figura. Esse tipo de prática não é comum para animais que não praticam esportes ou modalidades competitivas, uma vez que exige um treinamento bem mais intenso e frequente, além de comandos mais difíceis, como desviar, buscar objetos, rolar sobre obstáculos, saltar, pular de plataformas, etc.

Um bom exemplo de adestramento avançado é o agility, uma prática esportiva voltada para cães, que consiste em fazê-los atravessar obstáculos em um circuito planejado com gangorras, muros, túneis, pneus e outros objetos.

No adestramento de caça, o foco é no desenvolvimento do faro — não por acaso, trata-se de um tipo de adestramento feito com cães policiais —, nas técnicas de combate e no aumento da agilidade para buscar pessoas, objetos e substâncias.

No adestramento comportamental, bastante comum, a ideia é ensinar o animal de estimação a agir de forma adequada ao local onde ele está. Na prática, é uma técnica que objetiva corrigir comportamentos que podem afetar a convivência do pet com outros animais ou com os humanos.

Há, além desses, o adestramento de pastoreio, cujo nome é bastante explicativo; o adestramento para cães-guia, que são utilizados na condução de pessoas com deficiência visual; o adestramento de salvamento, dado a animais que trabalham no resgate de pessoas e até mesmo o adestramento para cães de guarda, que são treinados para proteger pessoas e espaços.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr