Veja os componentes químicos responsáveis pela maior parte das alergias

makeup-brush-1761648_960_720[1]
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

 É sempre recomendado evitar o contato com eles, especialmente, se você já sabe que tem mais chances de desenvolver essas reações.

A alergia é uma reação do nosso sistema imunológico a alguma substância que ele identifica como ameaçadora. Trata-se de uma doença muito comum, e a estimativa é que, pelo menos, 20% da população mundial sofra com algum problema desse tipo, em algum momento da vida.

Coceira, vermelhidão, dificuldade para respirar, tosse, descamação e inchaços são alguns dos sintomas mais comuns da doença, que prejudica o dia a dia de quem tem que conviver com ela. Entretanto, você sabia que é possível prevenir as alergias? 

Em geral, usar roupas adequadas, evitar poeira e contato direto com produtos químicos que possam ser agressivos para a pele são jeitos eficientes de fazer isso. Se você já sabe que tem predisposição a ter alergias, a dica é ter cuidado redobrado.

Existem alguns tratamentos que aliviam os sintomas de quem está tendo uma crise alérgica, mas a forma mais eficiente de se livrar do problema é identificando a sua origem e deixando de ter contato com aquele agente.

As alergias mais comuns têm como desencadeadores algum alimento, pólen, ácaros e produtos químicos diversos, com os quais estamos cada vez mais em contato desde a industrialização. Alguns especialistas afirmam que esse fato pode explicar o aparente aumento nos casos em todo o mundo.

Para te ajudar a ficar longe das substâncias químicas que podem fazer mal, preparamos uma lista com as que mais costumam causar problemas.

Cosméticos

A alergia de algumas substâncias frequentemente presentes em cosméticos é tão comum que o aviso vem na embalagem. A recomendação é sempre aplicar qualquer produto em uma pequena área e esperar 24 horas antes do uso, para ter certeza que o corpo não o rejeita.

Conservantes parabenos, formol ou formaldeído são algumas das substâncias mais apontadas pelos alérgicos. Corantes, fragrâncias e veículos, como a lanolina, também podem causar problemas.

Produtos de limpeza 

As substâncias químicas presentes em produtos como sabão em pó, amaciante, água sanitária, detergente e desinfetantes costumam causar reações alérgicas em algumas pessoas, seja pelo contato direto ou pela inalação.

Uma forma de evitar esse tipo de reação é não manusear diretamente esses produtos, usando luvas, por exemplo. Muitas fórmulas contêm produtos abrasivos, que são ótimos para a limpeza, mas péssimos para a nossa pele.

Além disso, é importante não inalar diretamente esses produtos e sempre retirar o excesso deles após a faxina. Se apresentar qualquer sintoma de alergia, a dica é identificar qual item foi utilizado e evitar manuseá-lo em outras ocasiões.

Ler os rótulos dos produtos e, sempre que possível, optar por substâncias naturais, que não utilizam sintéticos e petroquímicos, também é uma boa ideia.

Medicamentos

As alergias aos componentes presentes nos medicamentos também são muito comuns e pedem cuidado, pois, possuem maior risco de evolução para quadros graves. 

Antibióticos, anticonvulsivantes e contrastes de iodo, utilizados em exames de raio-X, são algumas das substâncias, presentes em remédios, que mais causam alergias. No entanto, você pode ser sensível a qualquer uma delas, por isso, a recomendação é ficar atento sempre que for ingeri-las pela primeira vez.

Crômio

Sapatos, bolsas, jaquetas e outros acessórios fabricados à base de couro também podem desencadear reações alérgicas, e o culpado por isso costuma ser o crômio. 

Em alguns casos, a substância, utilizada para dar mais flexibilidade a essas superfícies, penetra na pele e não é bem recebida pelos nossos anticorpos. Os casos são tão comuns que a União Europeia restringiu o uso do crômio em produtos fabricados lá.

Níquel

Assim como o crômio, esta é outra substância banida na Europa para a fabricação de produtos que ficam em contato direto com a pele, como relógios, pulseiras e fechos de roupa. O motivo também é a frequência com que ele causa alergias.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr