Tudo sobre as vacinas V8 e V10 para os cães

dog-3175814_960_720[1]
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Conheça mais sobre a importância da imunização para o seu pet.

A vacinação é algo muito importante na vida de vários tipos de animais, principalmente na dos cães. Isso porque, sem a proteção adicional vinda da vacina, esses animais estão passíveis de adoecer, podendo até mesmo transmitir certos tipos de doenças para os humanos — as chamadas zoonoses.

Então, para acompanhar a saúde do pet, é preciso manter a carteira de vacinação dele em dia. Existem vacinas que devem ser administradas ao longo da vida como uma espécie de manutenção (como a da raiva), e há aquelas que devem ser aplicadas nos primeiros meses de vida, como é o caso das vacinas V8 e V10.

Mas você sabe para que servem essas vacinas e qual a diferença entre elas? Confira a seguir.

Importância da imunização

As vacinas, de um modo geral, são imunizantes produzidos a partir de certos vírus ou bactérias atenuados que têm por objetivo induzir o organismo a produzir anticorpos contra aquele vírus ou bactéria. Ou seja, elas servem para criar uma defesa natural caso o organismo entre em contato com tais doenças.

Isso vale também para os cães. A vacinação deve ser feita considerando a idade do animal e é fundamental porque pode evitar doenças comuns à espécie e situações mais graves que podem levar à morte do seu pet.

Caso você tenha adotado um animal sem saber se ele já é vacinado ou não, o recomendado é procurar um veterinário. No geral, a recomendação é de duas doses da vacina múltipla e uma da antirrábica.

As vacinas para cães são divididas entre as essenciais e as não essenciais. As essenciais são as mais recomendadas porque conseguem evitar doenças fatais e as zoonoses. Dentro desse grupo estão as vacinas V8 e V10.

Esses dois imunizantes precisam ser aplicados no animal entre 45 e 60 dias de vida. Há, ainda, um reforço com a aplicação de mais três a quatro doses a cada quatro semanas. Mas qual a diferença dessas duas vacinas, também conhecidas como vacinas múltiplas caninas?

Vacina V8

Adenovirose tipo 2, cinomose, coronavirose, hepatite infecciosa canina, parainfluenza, parvovirose e dois tipos de leptospira (Leptospira CanicolaLeptospira Icterohahemorrhagiae): a vacina V8 protege o seu pet contra esses oito tipos de doença.

Vacina V10

Além das oito doenças que a V8 combate, a V10 tem uma espécie de “combo extra”, já que consegue imunizar o animal também contra outros dois tipos de leptospirose (Leptospira Grippotyphosa e Leptospira Pomona).

Com isso, fica claro que ambas as vacinas são fundamentais para uma melhor qualidade de vida. A diferença é que a V10 tem uma proteção a mais contra outras duas doenças.

Vacina antirrábica

Outra vacina do grupo dos imunizantes essenciais é a vacina antirrábica (vacina contra a raiva). Essa vacina é oferecida nos postos de saúde durante as campanhas municipais contra a doença no país e é totalmente gratuita.

A vacina da raiva é essencial porque, além de a doença poder ser transmitida para outros animais — incluindo seres humanos —, ela é fatal para cães e, quando eles adoecem, infelizmente, o prognóstico é o sacrifício do animal.

Vacina contra leishmaniose

A vacina contra leishmaniose está entre as não essenciais porque é indicada para um grupo específico. Nesse caso, a indicação é principalmente para cães que vivem em região litorânea ou que costumam viajar para essas regiões consideradas endêmicas, como interior de São Paulo, Nordeste e Centro Oeste do Brasil.

Vacina contra gripe canina

Outra vacina não essencial é a tosse dos canis, também conhecida como traqueobronquite infecciosa canina,  traqueíte ou gripe canina. A doença é mais comum em ambientes frios e durante o inverno, e é recomendada para cães que têm fácil acesso a outros animais.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr