Taxa de câmbio flutuante: como ela influencia a compra de um imóvel?

chart-1905225_960_720[1]
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Dólar mais forte contribui para queda do preço de imóveis.

Muitos fatores interferem no valor de um imóvel. Tamanho, localização, estado de conservação, fato de ser novo ou usado e presença de outros benefícios, como área de lazer, no caso de apartamento, tudo isso fará com que o preço da residência seja maior ou menor.

Os preços do mercado imobiliário também são afetados quando há uma mudança no valor de alguma moeda. Por exemplo, no caso do dólar, quando ele está em alta, primeiro, o setor sofre uma congelação dos preços, seguido de uma queda nos valores dos imóveis.

Não sabe como essa relação funciona direito? Sem problemas! Abaixo, compreenda a correlação entre a taxa de câmbio flutuante e o preço de um imóvel.

O que é a taxa de câmbio flutuante?

De uma maneira geral, essa taxa é um regime cambial no qual o valor de determinada moeda altera (ou flutua), respondendo a certos mecanismos do mercado financeiro. Essas mudanças refletem as forças do mercado e a expectativa atual dos investidores.

A moeda que é regida por essa variação é conhecida como câmbio flutuante. Essa mudança de valor irá impactar boa parte do consumo dos bens daquela sociedade, uma vez que o preço, principalmente, dos produtos importados, irá passar por uma ressignificação.

Portanto, quanto mais uma moeda for apreciada, maior será o seu valor em
comparação com as demais. Da mesma forma, quanto maior for a depreciação dela, menor será sua força perante as outras. Assim, ela se torna mais cara ou mais barata de acordo com esse fator.

Essa alteração para mais ou para menos irá depender de alguns motivos. Entre eles, estão a confiança dos investidores na economia daquela moeda, o cenário comercial, o comércio global, a inflação do país do câmbio, a estabilidade política e a dívida pública federal.

Como essa taxa influencia a compra do imóvel?

Atualmente, o dólar está bastante valorizado no Brasil. Se, por um lado, este valor contribui para que produtos importados fiquem mais caros, como eletrônicos e carros, por outro, ele faz com que os preços dos imóveis fiquem mais baixos.

Isso acontece porque, quando o dólar sobe, ele costuma ser acompanhado pela inflação e pelas taxas de juros. Com isso, a oferta de crédito para financiamento e o poder de compra das pessoas é reduzido.

Em um primeiro momento, isso pode encalhar os imóveis. Entretanto, justamente para evitar essa situação, as construtoras e os vendedores pensam em formas de tornar a aquisição mais atrativa e rentável. Outro fator que motiva a compra é a possibilidade de valorização no futuro, quando o mercado for reaquecido.

Inclusive, isso atrai os investidores nacionais e internacionais. Como investir em negócios no exterior fica mais caro, eles optam por apostar no mercado nacional. Nesse momento, os imóveis surgem como uma boa possibilidade de investimento para essas pessoas, por serem mais estáveis e baratos.

Para quem procura vender um imóvel, é importante não se desesperar neste cenário. O ideal é recorrer à ajuda profissional, como de uma imobiliária, para receber a orientação adequada sobre os próximos passos. Aqui, de pouco adianta querer estabelecer um valor de venda acima da média, já que isso só servirá para afugentar eventuais compradores.

O vendedor também deve evitar anunciar o imóvel em muitas imobiliárias. Esse é um erro comum e desvantajoso para a venda. Quando muitas pessoas estão anunciando o imóvel, acaba se tornando um leilão, com elas competindo entre si para ver quem consegue o menor valor pelo bem.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr