Quem pode ministrar curso de NR13? Entenda tudo

verificando vazamento tubulações
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

É provável que você tenha ideia de que apenas o profissional habilitado (PH) é quem pode ministrar curso de NR13. No entanto, ter conhecimento dessa habilitação, saber dos requisitos necessários e validações obrigatórias para exercer a atividade são detalhes que não são mencionados com frequência.

De imediato é bom que você saiba ser dispensável que o profissional esteja ligado a uma empresa especializada. Pode ser um consultor de inspeção e supervisão autônomo. O recomendado é que a empresa (ou profissional) tenha boas referências e tenha como valor a saúde do seu empreendimento tanto quanto você.

De fato, o inspetor precisa ser engenheiro formado, precisa ter habilitação (ou a empresa para qual presta serviço) no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea). 

Para seguirmos removendo dúvidas comuns, vamos te mostrar o que é aplicado num treinamento por quem pode ministrar curso de NR13.

Como funciona o curso NR13?

O objetivo principal do treinamento NR13 é abordar a gestão estrutural de vasos de pressão, tubos e tanques metálicos, caldeiras a vapor, bem como suas tubulações e interligações. Desta forma, o pré-requisito básico é seguir a documentação prevista pela NR13, onde estão as normas de instalação, fabricação e montagem do equipamento.

Esses mecanismos serão utilizados durante sua vida útil, e para isso, o treinamento do profissional habilitado que pode ministrar curso de NR13 tem como foco a segurança e a boa observância às boas práticas. O não cumprimento desta normatização pode resultar em multas, e ainda colocar em risco a vida dos demais colaboradores da empresa.

Descrição de NR13

A primeira etapa que precisa ser resolvida é esclarecer para os colaboradores o que é a NR13 e a sua abrangência.

Nesse ínterim, o treinador irá falar sobre todos os equipamentos de maneira geral, mas destacar a importância e o cuidado que se deve ter com cada um deles.

Conceituações no curso de NR13

Um bom instrutor sabe que compreender as definições de cada aparelho e o seu efeito no ambiente de trabalho é importante. Nesse ponto, a forma de revisar cálculos de áreas e volumes, além dos conceitos da física (como a termodinâmica e as Leis de Newton), entre tantos outros, serão o cerne da abordagem.

Máquinas (térmicas e de pressão)

Compreender os riscos e saber como evitá-los – principalmente quando lida com alta temperatura – é o que esse tópico se concentra em fazer os ouvintes entenderem.

É um módulo em que um orientador ministrará informações sobre as principais dúvidas sobre caldeiras e vasos de pressão e todas as formas de lidar com esses aparelhos.

Proteção

Como estamos falando de segurança de trabalho, não vai faltar instruções completas sobre Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva (EPIs e EPCs, respectivamente), além de recomendações para eliminar riscos ergonômicos, ambientais, e alguns resumos sobre altura (NR35) e sobre trabalho em espaço confinado (NR33).

Segurança e Saúde no Trabalho

Sabemos que é muito comum o trato com possíveis materiais inflamáveis e combustíveis, além de lidar com vasos de pressão e variáveis (como prováveis emergências químicas, etc), desse modo, é extremamente necessário lidar com Análise Preliminar de Riscos (APR), Plano de Gerenciamento de Risco (PGR) e Plano de Contingência de Emergência (PCE).

Além disso, você será apresentado às Ferramentas de Análises de Falhas – Hazop & Diagrama de Ishikawa, que é uma ferramenta gráfica utilizada pelo administrativo da empresa, no intuito de refletir sobre os porquês de determinado problema e os efeitos que causa e maneiras de preveni-lo.

Agora que você sabe qual é o núcleo de um curso N13, vamos descrever o que você precisa ter como pré-requisito para realizar o treinamento.

Curso De Nr13
Quem pode ministrar curso de NR13? Entenda tudo 1

Quais os requisitos para o treinamento da NR13?

Temos conhecimento de quem é o profissional correto para aplicar cursos da 13.ª Norma Regulamentadora. Porém, também se faz essencial que o aluno siga alguns pré-requisitos para fazer parte do treinamento da NR13.

Antes de tudo, é fundamental ter o Ensino Fundamental completo. O mínimo que vão exigir de quem gostaria de participar do curso é o certificado de conclusão dessa escolaridade. Para além disso, será preciso ser supervisionado e receber aulas apenas por um profissional habilitado e capacitado para esse fim.

No caso de um orientador, os requisitos são um pouco mais específicos: apenas aqueles que têm a competência legal para exercer as funções de engenheiro nas atribuições que se referem a construção, vistoria de operação e manutenção, além de inspeção e fiscalização de todos os itens constantes na NR13.

Quem é responsável pela aplicação da NR 13?

Estamos reforçando a importância do engenheiro habilitado e certificado pelos órgãos responsáveis para ministrar um curso de NR13, no entanto, é importante ressaltar que esse também é o PH que tem o cacife de aplicação e inspecionar a NR13 numa empresa. 

Muitas corporações, inclusive, mantêm um quadro específico em sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), que pode fazer todas as atividades relacionadas a essa Norma Regulamentadora.

Quem pode fazer laudo de compressor?

O próprio engenheiro habilitado por lei (deve ser cadastrado no Confea e no Crea da mesma forma) é o único profissional autorizado para emissão de laudos de compressores. Só ele é capaz de fazer todas as avaliações e emitir a documentação pós-inspeção.

Desde a medição de fissuras e rachaduras, até mesmo o teste hidrostático (interna e externamente), só o PH poderá compreender a estrutura, os riscos, e aprovar ou não em laudo as condições dos equipamentos e ambiente analisados.

Consideramos crucial buscar empresas de Inspeção NR13 com todas certificações inerentes, além de profissionais devidamente habilitados, capacitados e validados no mercado.

Qual a carga horária da NR 13?

Pode parecer leviano, todavia, “depende do estabelecimento”, e sim, isso é a verdade. A complexidade da unidade e a quantidade de equipamentos a serem destacados é quem vão dizer a carga horária. Entretanto, mesmo sem uma definição específica na própria norma sobre isso, é praxe considerar 40 horas como aceitável. 

Quem pode ministrar curso de NR13 é quem vai dar a palavra final sobre a necessidade de mais ou menos tempo para a carga horária.

Operador de caldeira pode trabalhar sozinho?

Agora que abordamos bastante sobre inspeção NR13, vamos a uma curiosidade. Pode um operador de caldeira trabalhar sozinho? Já que falamos de retórica, podemos responder “sim, mas depende”.

Existem diversos tipos de caldeiras: as flamotubulares, elétricas, combustíveis líquidos e sólidos, a gás, aquatubulares (entre outros), e o que vai determinar se o caldeirista precisa de auxiliar ou não é o nível de complexidade da caldeira onde ele está a atuar.

Via de regra: geralmente as caldeiras térmicas são operadas por apenas um profissional (devidamente equipado com os EPIs) e as químicas ou com materiais mais complexos demandam uma equipe para dar suporte ao funcionário.

Lembramos que é muito importante conhecer todas as atribuições de um PH para ministrar o curso N13, pois é ele quem está possibilitado de emitir laudos de avaliação técnica de toda a estrutura da empresa, além de destacar maneiras de evitar acidentes e prejuízos à saúde (e financeiros). Conte-nos abaixo se você já fez, ou tem interesse em fazer o curso de NR13.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr