Qual a diferença entre fundações rasas e fundações profundas?

fundação rasa
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

As fundações são uma das partes mais importantes de uma construção, o que mostra a extrema importância para os profissionais no geral, Engenheiro e Arquiteto, saber como elas funcionam.

Elas são basicamente elementos estruturais, tendo como objetivo suportar e distribuir todas as cargas provenientes da estrutura para o solo.

Essas cargas podem variar entre alguns tipos, sendo as mais importantes:

Cargas Permanentes: são provenientes do peso próprio da estrutura, ou seja, é composta por todos elementos construtivos fixos e instalação permanente.

Cargas Acidentais: são cargas que correspondem ao peso de máquinas, pessoas, móveis, no geral são as cargas incertas.

Certamente existem diversos tipos de cargas, e todas elas devem ser levadas em consideração.

Escolha da Fundação

É importante frisar, que além das cargas na estrutura, também existem outros fatores que devem ser abordados na hora de escolher a melhor fundação. Como:

  • Relação de custo com base no método executivo;
  • Resistência do solo e a profundidade da camada;
  • Prazo de execução.

Outro fator muito importante, é a nossa conhecida tensão admissível, sendo ela a capacidade de resistência do solo.

Através da tensão admissível, temos a relação para a máxima tensão que pode ser aplicada no solo antes que ele venha se romper.

Com base nesses parâmetros, são determinados os fatores de segurança para a fundação.

Tipos de Fundações

De acordo com todos os critérios citados acima, pode-se determinar a melhor fundação, ou seja, a que cumpre com todos os aspectos abordados, fator de segurança, economia, prazo de execução, e a característica do solo em que a mesma será executada.

Os tipos de Fundações podem ser separados em dois grupos:

Fundações Rasas

Esse tipo de fundação, transmite as cargas para o solo de maneira superficial, não sendo necessário equipamentos de grande porte.

Na maioria das vezes sua execução pode ser feita de forma manual, sendo elas executadas nas primeiras camadas de solo.

Sua profundidade máxima não pode ultrapassar 3,0 metros de altura, ou 2 vezes a menor dimensão em planta.

Alguns exemplos de exemplos de fundações rasas:

Fundações Profundas

As fundações profundas ou indiretas, tem como característica transmitir as cargas para o solo, através principalmente através do atrito lateral.

Sua profundidade é superior a 3 metros, em grande parte dos casos elas são executadas com auxílio de equipamentos de escavação e cravação.

Alguns exemplos de fundações profundas:

  • Estaca Hélice Contínua;
  • Estaca Ômega;
  • Estaca Franki;
  • Caixões;
  • Estaca Raiz;
  • Tubulões (a céu aberto ou ar comprimido).

Certamente as principais diferenças podem ser notadas na hora de se escolher o tipo de fundação, levando sempre em consideração o tipo de solo, as dimensões da estrutura, a natureza da obra e a relação financeira.

Geralmente, as fundações rasas são mais utilizadas em obras simples, onde não exista grandes concentrações de cargas, e o tipo de solo é favorável para a estrutura.

Já as fundações profundas, são mais utilizadas em obras mais complexas, como em edifícios, onde os esforços solicitados são maiores, tendo por necessidade atingir as camadas mais profundas de solo.

Para ter mais informações sobre os tipos de fundações, consulte a norma NBR 6122 ( Projeto e Execução de Fundações).

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr