Cobogós: saiba usar para dividir ambientes

interior-768526_960_720[1]
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Elemento brasileiro combina com qualquer estilo de decoração.

Com cada vez mais casas e apartamentos compactos, espaços com ambientes duplos são cada vez mais comuns, sendo o mais clássico deles a integração de sala + cozinha. As transições entre os dois espaços são importantes para criar uma impressão de organização e fugir do visual de “estoque de mobília”. 

Se você é daqueles que se cansou de usar um conjunto de mesa para demarcar o fim da sua cozinha e o início da sala de estar, esta dica dos cobogós é definitivamente para você. 

O que são cobogós?

Os cobogós são elementos vazados feitos de barros, vidro e cimento, parecido com tijolos. Surgiu no ano de 1929 na cidade de Recife pelas mãos de três arquitetos: Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio Góis. Foi justamente as iniciais de seus sobrenomes que deu origem ao nome da peça. 

Inspirado em um recurso da arquitetura árabe chamado mashrabiya, os cobogós tem como finalidade inicial permitir a entrada de luz e ar ao ambiente, mas, ao mesmo tempo, resguardar a privacidade das pessoas e objetos no espaço, três fatores primordiais para o calor do nordeste. 

No entanto, a disposição de vários cobogós acaba formando belos desenhos que acabam por decorar o local. Apesar disso, sua popularidade se deu apenas na década de 50, com seu uso empregado na construção de Brasília. 

Como usar o cobogós?

Os cobogós podem ser empregados nas mais diversas formas: seja na parte interna quanto na externa, nas paredes ou no teto. O que vale é a criatividade na hora de criar um ambiente. 

Alguns prédios públicos também utilizam o elemento em sua fachada, como é o caso da biblioteca nacional de Brasília e a igreja da Vila Madalena em São Paulo. No caso de dividir dois ambientes, algumas divisões podem cumprir facilmente este objetivo:

Pilastra 

Essa composição é formada por uma pilastra de cobogós para demarcar de forma sutil o fim de um ambiente e o começo de outra. É mais comumente usado próximo a uma escrivaninha localizada no canto de um quarto, mas também fica perfeita para dividir o hall de entrada do apartamento com o restante da casa, dando assim mais privacidade aos moradores. 

Uma parede

Esta é a clássica aplicação dos cobogós nos apartamentos. Muitas vezes os cômodos deste tipo de residência são muito pequenos e próximos, por isso uma pequena parede com estes elementos pode ser feita para demarcar visualmente o início e o fim de uma determinada área, como entre uma cozinha e uma sala de jantar e parte do sofá. 

A  vantagem da aplicação dos cobogós nessa situação é que diferente de uma parede de tijolos tradicionais, essas peças vazadas criam uma ilusão de abertura do ambiente, dando a impressão que os cômodos são maiores. Uma parede comum em um cômodo já apertado, só deixaria o ambiente ainda menor.

Parede cilíndrica 

Essa é uma sugestão que pode ser aplicada nas portas das entradas dos cômodos. A ideia aqui é dispor um arco curvo em cada lado de onde seria uma porta, inibindo a necessidade de ter uma ali. 

O único cuidado que se deve ter é a distância desta entrada, pois os arcos não devem ficar muito distantes, mas perto o suficiente para formarem um cilindro. Outro local em que a parede circular.

A parede circular também serve para ser aplicada ao redor de uma escada caracol, tornando-a inclusive mais segura desta forma. 

Parede central 

Quer ter duas entradas para sua sala de estar ou jantar? Construa uma parede de cobogós no centro da sala. Para dar mais destaque, recomendamos usar cores vibrantes feitas de vidro, como o amarelo ou azul-celeste, por exemplo.

Duas paredes

Ao contrário do último exemplo, onde a entrada do cômodo será lateral, aqui ela ficará no meio do ambiente. As paredes de cobogós laterais são uma excelente opção para dividir a sala de estar de outro local do apartamento. 

O único cuidado que deve ser tomado aqui é quanto a presença de uma televisão ou rádio, visto que este elemento não irá abafar o som proveniente dos mesmos. 

Uma parte da parede

Se você quiser ressaltar mais ainda a arte do cobogó, você pode aplicá-los apenas na parte central de uma parede tradicional. Uma dica é pintar os elementos com um tom oposto ao da parede, ressaltando ainda mais a beleza dos padrões geométricos. 

Ainda nessa categoria, outra opção é colocar uma pequena fileira de cobogós nas bordas da parede, formando uma espécie de “moldura” para um quadro ou fotografia que você quiser destacar na sua sala de estar ou de jantar.

Vale lembrar que o recomendado é não usar os cobogós nas paredes que tenham quartos, banheiros e outros cômodos íntimos como vizinhos. Apesar de manter certa privacidade visual, ela não é absoluta, sem falar que o som é mais facilmente ouvido graças às entradas no elemento. 

Muro inteiro 

O muro inteiro é perfeito para quem quer separar a piscina da área gourmet ou do resto da casa: basta construir paredes completamente com cobogós próximo da mesma. O resultado é uma transição suave de ambientes.

Dica extra: ter uma parede de cobogós pode servir também para “esconder” os chuveiros dos banhistas.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr