10 dicas para se tornar um síndico de sucesso

Diverse friends gathering together
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O síndico é um profissional que acumula inúmeras responsabilidades. Afinal de contas, ele precisa lidar com várias situações, além de administrar o condomínio, verificando as condições financeiras, possibilidades de investimento, infraestrutura, entre outras coisas.

Além disso, o síndico tem um papel fundamental na manutenção da harmonia no condomínio. Sem ele, muitas coisas podem dar errado, o que pode prejudicar a vida em comunidade.

Contudo, sabemos que esse não é um trabalho fácil. Muitas vezes, é preciso resolver situações emergenciais fora do horário comercial, lidar com acontecimentos entre os vizinhos, verificar reclamações, entre outras situações complicadas.

Por esse motivo, o artigo de hoje trouxe 10 dicas para se tornar um síndico de sucesso e alcançar o equilíbrio no seu condomínio. Acompanhe a leitura!

1 – Acompanhe o trabalho da administradora de condomínios

A empresa responsável pela administração de condomínios exerce um papel muito importante na gestão. Isso porque ela lida com muitas questões burocráticas, como a emissão de boletos de pagamento, contratação de terceirizados, etc.

Por esse motivo, o diálogo entre o síndico e a administradora deve ser frequente, para que não haja desencontros e desentendimentos entre as partes.

Além disso, é uma forma de manter a atualização de informações, já que tanto a administradora quanto o síndico precisam de informações detalhadas para executar um bom trabalho.

Sendo assim, a dica é realizar uma reunião periódica para acompanhar os desdobramentos da gestão e ter uma ideia de como andam todas as operações no condomínio.

Recomenda-se que esse encontro seja mensal, mas dependendo do tamanho e da complexidade do condomínio, esse período pode ser maior ou menor.

Aqui, também vale a pena contratar uma administradora de condomínios confiável, para evitar quaisquer inconsistências na gestão, ainda mais porque ela irá lidar diretamente com questões financeiras.

2 – Divida as responsabilidades com o Conselho

Enquanto síndico, você deve ter em mente que nada pode ser feito sem o consentimento dos demais moradores. Ou seja, embora você tenha autonomia de gestão, é preciso tomar decisões coletivas.

Por esse motivo, é importante dividir as responsabilidades com o Conselho, que são os grupos de moradores que assessoram o síndico, ajudando no cumprimento de direitos e deveres.

Inclusive, o Conselho deve ter sempre informações sobre contas, aquisições, despesas e outras ações administrativas.

Por exemplo, ao cotar uma empresa de pintura predial para renovar a fachada, toda a pesquisa também deve passar pelo Conselho, como forma de decidir coletivamente qual negócio contratar.

3 – Dê atenção especial às assembleias

As assembleias são imprescindíveis para uma boa gestão condominial. É por meio delas que os moradores podem manifestar seus descontentamentos e sugerir mudanças, além de ser uma forma de estabelecer normas de convivência.

Aliás, algumas mudanças, como individualização da agua em condomínio, só podem ser realizadas depois que aprovada em assembleia, pois é o momento dos votos de cada um dos condôminos.

Aqui, é importante que o síndico saiba muito bem como conduzir a reunião, para evitar desentendimentos e manter o profissionalismo de tudo. Sendo assim, vale a pena:

  • Estabelecer pautas objetivas;
  • Tratar os assuntos em ordem de importância;
  • Saber como guiar uma conversa;
  • Respeitar as opiniões contrárias.

O Conselho também tem um papel importante na organização das assembleias. Os membros têm liberdade para discutir as pautas com maior propriedade e repassar as informações aos demais condôminos.

Por exemplo, ao verificar que o custo de uma empresa de limpeza de vidros SP não consta nas contas do condomínio, o Conselho pode cobrar o síndico. Por conta disso, é importante levar à assembleia tudo muito bem documentado.

4 – Tenha um fundo de reserva para emergências

O fundo de reserva é uma espécie de poupança do condomínio, que o síndico pode usar para casos emergenciais, ou quando se deseja realizar uma reforma em prol de todos (após aprovação da assembleia).

É importante ter uma organização financeira para que esse fundo de reserva não fique zerado, ainda mais quando ele precisa ser usado para situações emergenciais.

Por exemplo, se for preciso fazer reformas no condomínio para atendimento do AVCB consulta, o fundo de reserva pode ser utilizado, sem a necessidade de aumentar as taxas de condomínio dos moradores.

5 – Crie regras para acesso de terceiros ao condomínio

Quem busca morar em um condomínio preza muito pela segurança. Por esse motivo, um dos principais aspectos que deve ser discutido em assembleias é a questão de acesso de terceiros (entregadores, motoristas, visitantes, etc.).

O síndico deve propor algumas medidas de segurança para evitar ação de pessoas mal-intencionadas. Uma alternativa é investir em uma portaria virtual, que irá registrar toda a entrada e saída.

Importante ressaltar que os moradores devem ser avisados sempre que uma pessoa de fora procurá-los. Por isso, toda portaria deve manter uma comunicação constante – e é papel do síndico averiguar se esse processo está sendo cumprido.

Para aumentar ainda mais a segurança, muitos condomínios investem em sistemas de proteção, contratando distribuidora de câmeras de segurança para instalar os dispositivos nas áreas de entrada.

Como síndico, é o seu papel verificar essas imagens, sempre que perceber alguma inconsistência ou atitude suspeita.

6 – Tenha conhecimento das Leis Condominiais

As decisões do síndico devem ser tomadas sempre em prol do bem da comunidade. Por isso, o profissional deve ter comprometimento, respeito e empatia, para orientar que todos cumpram as regras da melhor maneira possível.

Além do mais, o síndico precisa ter conhecimento do Regulamento Interno do condomínio, bem como das demais legislações que têm peso em seu trabalho.

Por exemplo, na obrigatoriedade da instalação de um sistema de combate a incêndio do condomínio, o síndico deve avaliar se todos os equipamentos cumprem corretamente as normas e estão em conformidade com o padrão do Corpo de Bombeiros.

Vale dizer que o Regulamento Interno também deve respeitar a Constituição Brasileira, já que nenhuma lei está acima da Carta Magna.

7 – Mantenha as áreas de lazer bem cuidadas

As áreas de lazer chamam muita atenção em condomínios – tanto que algumas pessoas decidem morar em alguns empreendimentos devido às opções de entretenimento, como parquinhos, piscinas, quadras e churrasqueiras.

Diante disso, o síndico deve ter um cuidado especial com esses espaços, mantendo a limpeza frequente e zelando pela preservação.

O Regulamento Interno também deve constar algumas especificações sobre o uso dessas áreas, tendo em vista que os moradores também precisam respeitar as regras de convivência para manutenção dos espaços.

8 – Tenha uma comunicação aberta com os moradores

Não há nada mais frustrante do que ter dificuldades de conversar com o síndico. Por vezes, os moradores precisam resolver emergências, ou têm dúvidas quanto às normas e, por conta disso, acabam procurando o síndico.

Sendo assim, é importante contar com um canal de comunicação de fácil acesso. 

Hoje em dia, com o auxílio da tecnologia, fica muito mais fácil esse diálogo. O síndico pode disponibilizar um número somente para o condomínio, ou até investir em aplicativos de mensagens instantâneas para se aproximar ainda mais dos moradores.

Além disso, ter uma comunicação clara, rápida e transparente, é uma maneira de demonstrar respeito aos condôminos, garantindo que o seu trabalho seja bem visto por todos.

9 – Faça vistorias periódicas no condomínios

Um síndico de sucesso dá atenção aos detalhes. Afinal de contas, eles fazem a diferença, especialmente quando estamos tratando de uma vivência em comunidade.

Por essa razão, recomenda-se realizar vistorias periódicas em toda a área do condomínio, para avaliar as condições estruturais, as instalações elétricas e hidráulicas, a aparência dos canteiros e outros detalhes que impactam na convivência.

Essas vistorias também ajudam a planejar procedimentos de manutenção preventiva, evitando situações emergenciais que exigem gastos extras.

10 – Tenha autoridade, não autoritarismo

O síndico não deve confundir a sua autoridade com autoritarismo. Infelizmente, essa é uma situação bem comum nos condomínios e que acaba gerando vários desentendimentos.

Pense no condomínio como uma empresa, em que você é um dos gestores. Portanto, é preciso ter autoridade, mas isso não significa ser rude e não ter empatia com os demais colaboradores (condôminos). Afinal de contas, aquele espaço é de todos.

Então, para ser um síndico de sucesso é necessário, antes de tudo, saber escutar as demandas e as necessidades dos moradores. Mostre-se aberto às críticas e, é claro, respeite as decisões da assembleia.

Conclusão

O que achou das nossas dicas? De fato, o trabalho de síndico não é nada fácil, mas você pode alcançar o sucesso e conquistar os moradores.

Perceba que a maioria das dicas foca em uma boa estratégia de comunicação e o principal: saber respeitar todos os moradores. Com essa premissa, o seu trabalho será muito eficiente e o seu condomínio só vai crescer!
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no tumblr