Tags

Archive for julho, 2012

Algumas estratégias online para fidelização do público

Mais importante do que ter uma base de fãs consolidada, é manter essas pessoas constantemente estimuladas e interessadas na sua banda. Dentre tantas novidades musicais surgindo a todo momento, vão se destacar aqueles que conseguirem manter o interesse do público. Separamos abaixo algumas dicas que podem te ajudar nessa tarefa.

Redes sociais

Assunto recorrente aqui no blog do Estrombo, as redes sociais permitem uma reconfiguração do relacionamento entre fã e artista. Ainda que seja importante publicar links com os seus vídeos e datas de turnê, é igualmente interessante usar essa ferramenta para “ouvir” o público. Nesse sentido, os seus seguidores podem, por exemplo, ajudar a escolher o setlist do próximo show ou até mesmo decidir qual faixa deve ganhar um videoclipe. Outras abordagens mais elaboradas são a criação de conteúdo colaborativo, como vídeos e letras de música.

Troca de e-mails por música

O mailing list pode ser uma boa ferramenta de divulgação das últimas novidades da sua banda. E, cada e-mail é precioso. Mas como ninguém gosta de spam, esse conteúdo deve ser bem pensado e enviado somente para quem escolheu receber o informativo. Uma estratégia usada por algumas bandas para coletar mais e-mails é disponibilizar uma música em troca de um endereço. Assim, você cresce o seu mailing e, de quebra, faz alegria do fã que está louco para ouvir aquele lançamento.

Envio de conteúdo exclusivo

Foto: Die Felsen im Studio, por scytale, CC BY 2.0

Por fim, uma outra dica é bem parecida com a lógica do crowdfunding. Você pode oferecer “recompensas” para o pessoal que comprar ingresso antecipado de algum show, para quem gastou determinada quantia em merchandising da banda ou mesmo quem comprou o CD… É uma outra forma de presentear o seu fã – e quanto mais exclusivos os conteúdos, melhor.

Quais outras estratégias dão certo no seu caso?

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Foto: Die Felsen im Studio, por scytale, CC BY 2.0

Experimentações sonoras com apps nos novos aparelhos móveis

Foto: mini studio, por tacoekkel, CC BY-SA 2.0

Existe já uma infinidade de aplicativos musicais circulando no mercado online dos celulares e tablets. Suas especificidades vão da produção e distribuição musical ao consumo por streaming. Entre aqueles que oferecem ferramentas de composição, há aplicativos que simulam estúdios inteiros, enquanto outros focam em um ou poucos instrumentos.

Já outros aplicativos saem da posição de “emuladores” da vida real e estimulam maneiras totalmente inovadoras de compor. É o caso do MadPad, desenvolvido pela Smule, que já lançou outros apps musicais.

Com o MadPad, podemos fazer músicas usando os sons à nossa volta – e até mesmo remixar canções conhecidas. O app funciona assim: com o aparelho, “coletamos” sons de instrumentos – ou de objetos que não poderíamos chamar de instrumentos musicais no sentido convencional do termo. Pode ser a buzina de um carro, o corte de uma tesoura, a batida de um martelo… Depois de registrar esses sons, podemos combiná-los na sequência que quisermos, ajustar o tom e colocá-los para repetir em loop.

Gostou da brincadeira? Agora qualquer um pode transformar em música aquele “barulho” que, em outras ocasiões, podem ser bastante inconvenientes.

Acompanhe o Estrombo também nas redes sociais: Twitter, Facebook e YouTube

Inscreva-se para o “Projeto Encounters – Comprador & Imagem”

Encounters

De 16 a 18 de julho, no Centro Cultural Midrash, o SEBRAE e a BM&A estarão promovendo o “Projeto Encounters – Comprador & Imagem”, do Brasil Music Exchange. A proposta é promover um espaço de negócios internacionais com seminário, debates e encontros de negócios.

Este projeto trará para o Estado compradores de música para negociar com produtores locais e promover a música do Brasil no exterior. Através das ações promovidas, eles terão a oportunidade de conhecer o trade da música no Rio de Janeiro, o mais representativo do Brasil.

Saiba mais sobre as ações:

SEMINÁRIO

Realização de um ciclo de encontros com a participação dos convidados e de agentes locais da música no Rio de Janeiro. Propõe-se ainda uma apresentação dos convidados internacionais sobre o mercado de atuação de cada um.

PITCHING

Oportunidade de bandas e produtores brasileiros apresentarem em três minutos suas propostas para a banca de possíveis compradores da música brasileira.

ENCONTROS DE NEGÓCIOS

A partir destas apresentações, os compradores selecionam os que mais interessam para uma rodada de negócios individual.

AGENDA:

Dia 16/07

14h às 16h – Seminário com os convidados internacionais

16h30 às 18h – Mesas Redondas;

18h – Anúncio do resultado da seleção para o Pitching

Dia 17/07

10h às 16h30 – Pitching;

16h30 às 18h – Avaliação do Pitching;

18h – Anúncio do resultado do Pitching para participação na Rodada de Negócios.

Dia 18/07

9h30 às 12h30 – Rodadas de Negócios;

14h30 às 16h – Finalização e apresentação dos resultados

A inscrição para o pitching vai até o dia 15 de julho, é gratuita e feita com o preenchimento de uma ficha de inscrição online em inglês – http://bit.ly/M0jYDO – e o envio de 3 faixas em mp3 do(s) artista(s) representado(s) no site http://soundcloud.com/groups/encounters-2012-rio-de-janeiro/dropbox.

Os convidados selecionarão até 50 empresas/artistas brasileiros para participarem do Pitching.

A partir do Pitching ou de uma seleção prévia do comprador, será organizada a agenda de cada empresário estrangeiro para uma reunião individual com os brasileiros que mais lhes interessarem. Esta fase, chamada de encontros de negócios, acontecerá no 3º dia.

Para se inscrever somente no Seminário “Música em Debate”, clique aqui.

O Centro Cultural Midrash fica na Rua General Venâncio Flores, 184 – Leblon.

O nome e o perfil dos compradores:

Robert Singerman

Robert Singerman trabalha com música há mais de trinta anos e já atuou como empresário, agente, gerente executivo de gravadora, consultor, produtor, programador e supervisor de música. Conhecido por descobrir e desenvolver talentos, ele já representou uma grande variedade de artistas, como REM, Gipsy Kings, James Brown, Suzanne Vega, Sun Ra, Violent Femmes, Fleshtones, 10.000 Maniacs, Smithereens, Fela Kuti, Sunny Rei Ade, Longhair Professor e os Hoodoo Gurus, e muitos outros. Reconhecido como um dos principais defensores do novo jazz, da new wave e da música mundial a partir do final dos anos 70 e 80, Robert já falou em conferências pelo mundo todo, incluindo SXSW, Midem, CMJ, New Music Seminar, Popkomm e o Mundo Cultural Económica Fórum.

Kyle Hopkins

Kyle Hopkins é Supervisor de Música da Microsoft / Xbox. Ele cuida das trilhas sonoras para jogos da Xbox e de música no Windows, Windows Mobile, Xbox Live e campanhas de marketing do Zune. Hopkins também organiza programas semanais de rádio, como o KEXP 90,3 e o “Estação do Ano”. Kyle é um fanático por música e um ávido colecionador de discos de vinil.

Ariel Hyatt

Ariel Hyatt é uma publicitária americana, escritora e estrategista de mídia social. É presidente e fundadora do Ariel Publicity, uma empresa de social media com sede em Nova York, e da Cyber PR, sua marca online. Ela escreveu o livro ”Music Success in 9 Weeks” e co-escreveu o “Musician’s Roadmap to Facebook and Twitter”. Seus clientes musicais incluem Lee Scratch Perry, Kelly Richey, George Clinton, The Nitty Gritty Dirt Band, Derek Sivers of CD Baby e Project Logic, que contou com John Popper do Blues Traveler e DJ Logic.

Melinda Lee – Getty Images Music

Como diretora da Getty Images Music, Melinda L. Lee dirige a empresa de música digital com foco em desenvolvimento de negócios e parcerias estratégicas, que incluem selos, editoras e artistas, e novas plataformas digitais. Lee é responsável pela implementação da estratégia de crescimento da Getty Images Music e pelo desenvolvimento de relacionamentos de clientes novos e antigos. Desde que se juntou à empresa, em abril de 2011, Lee expandiu a oferta de música em 30 por cento. Antes da Getty Images, ela co-fundou a Uncensored Interview, uma produtora digital e licenciadora de conteúdo focada em bandas e artistas. Anteriormente, Lee coordenou também a estratégia de gerenciamento de conteúdo no Joost, e inaugurou a programação de mídia tradicional para a era digital, liderando o conteúdo de toda a empresa e licenciando parcerias na MTV Networks por mais de 6 anos.

Matt McDonald – CMJ Network

O foco principal de Matt McDonald está na programação de showcases de artistas na Maratona de Música CMJ. Atualmente, já em sua 32º edição, a Maratona atrai mais de 1300 artistas e 100.000 fãs de música de todo o mundo para NYC todos os invernos. Este ano o festival acontece entre os dias 16 e 20 outubro. Além disso, McDonald supervisiona vários eventos, passeios e iniciativas de licenciamento musical no CMJ ao longo do ano. Antes de ingressar na CMJ, em 2005, ele agia como um caça talentos em vários clubes de Nova York.

Tracy Maddux – CEO CD Baby | BookBaby | HostBaby

Maddux está baseado em Portland, Oregon, e é responsável por todas as marcas do CD Baby. Em 18 meses, o CD Baby lançou um serviço de licenciamento de sincronização para seus clientes em parceria com Rumblefish; lançou a MusicStore no Facebook para venda direta de discos de artistas do CD Baby por ecommerce, e escalou o BookBaby de centenas de títulos de eBooks para quase 5.000 títulos e autores. Antes de ingressar na CD Baby, em 2010, Tracy trabalhou na diretoria e em cargos de finanças em empresas de tecnologia e de manufaturas, como Versalogic e Intel Corporation. De 2001 a 2008, Maduxx gerenciou o Logic General, Inc., uma fabricante de disco óptico e prestador de serviços de atendimento. Na Intel, ele esteve envolvido nas finanças e no apoio aos esforços de inúmeras empresas de desenvolvimento, incluindo uma aliança entre a R&D e a NEC Corporation, e na venda e licenciamento de propriedade intelectual de inúmeras pessoas. Participou como conferencista da USAID sobre temas que vão desde e-commerce até análise financeira na Universidade de Budapeste. Tracy atua em vários conselhos sem fins lucrativos, incluindo PUSH America, Pi Kappa Phi Fraternity, e é presidente do Young Entrepreneurs Business Week. Recebeu seu diploma de graduação da Universidade do Texas, em Austin, e MBA em Finanças e Sistemas de Informação pela Escola de Administração Kelley, da Universidade de Indiana.

Leticia Montalvo

Nova Iorquina, Leticia Montalvo fundou a “Tempest Entertainment” em 1993, depois de ter trabalhado na Sounds of Brazil, desenvolvendo eventos e administrando sua agência “caça-talentos”. Tempest Entertainment tem sido uma grande responsável pela contínua conscientização de música internacional nos Estados Unidos e cresce para se tornar uma empresa de marketing multi-facetada, produzindo eventos internacionais públicos, privados e corporativos. A Tempest Entertainment inclui a Expresiones LatinasTM, SalsaSon, AfricaFete, Women of Reggae, African Heart Latin Soul, African Odyssey, Tudo Isto e Fado e futuramente The Soul of Brazil [at The Apollo Theater ] e Do BrazilTM.Entre os muitos artistas cujas carreiras a Tempest tem promovido na América do Norte estão Maria Rita, Gal Costa, Celia Cruz, Tito Puente, Marc Anthony, Hugh Masekela, Gilberto Gil, Mariana Aydar, Mercedes Sosa, Angelique Kidjo, Camané, Tia, Tulipa, NG La Banda, La India, Eddie Palmieri, Youssou N’Dour Ismael Lo, The Gift, Jorge Ben Jor e Daniela Mercury. A Tempest é a gerenciadora internacional de Daniela Mercury, Camané e The Gift.

Kavi Ohri – vice-presidente Music Dealers

Kavi supervisiona as operações diárias de negócios em uma empresa da costa leste, onde se empenha em ajudar marcas globais, agências, cinema e redes de TV. Auxilia também supervisores de música a encontrar as melhores soluções musicais para seus vários projetos, ligando-os a uma comunidade crescente de artistas independentes e compositores. Antes de ingressar na Music Dealers, Kavi foi VP de música na agência criativa e na empresa de produção Decon. Também foi por 6 anos diretor da A&R na Virgin Records onde trabalhou com uma vasta gama de artistas e em vários remixes, levando duas indicações ao Gramny em 2005. Começou sua carreira no mundo da música como voluntário na estação de rádio KCRW, em Los Angeles.

Distribuição digital de música: como funciona um mediador

Foto: Die Felsen im Studio, por scytale, CC BY 2.0

Uma das vantagens advindas da virada tecnológica na cultura da música é a possibilidade de bandas e selos comercializarem sua produção sem grandes complicações. Existem no mercado diversas opções de empresas que fazem a mediação entre o produtor do conteúdo e as lojas digitais. Exemplos do mercado nacional e internacional são CD Baby, iMusica e o ONErpm.

No caso deste último, o serviço de distribuição de música é voltado para bandas e selos independentes, levando essa produção para os vendedores mais populares do mercado (iTunes, UOL Megastore, Spotify etc.). As vantagens levantadas pelo serviço são: selecionar territórios onde a música será comercializada, as lojas que farão isso e os preços das faixas. Neste caso, o criador fica com 90% dos royalties, que podem ser coletados via PayPal. Existe ainda a possibilidade do artista ou do selo licenciar suas obras em Creative Commons. Algumas estratégias também podem ser realizadas diretamente pela plataforma, como a troca de faixas gratuitas por endereços de e-mail – assim, o artista coleta assinaturas para o seu mailing e fideliza sua clientela. O serviço também afirma facilitar o licenciamento de música para cinema, TV e publicidade, aumentando a esfera de circulação da obra. Por fim, os direitos ficam retidos com o artista.

A distribuição é uma das maiores questões enfrentadas por músicos e empreendedores atualmente. Enquanto as gravadoras possuem estruturas de distribuição física bem amarrados, os pequenos e médios selos, empresários e artistas usualmente possuem menos recursos para dar conta de um mercado tão vasto. A distribuição digital elimina a barreira geográfica levando a música para qualquer lugar, à distância de alguns cliques. E as opções de personalização como as oferecidas por empresas especializadas podem ser vantajosas, uma vez que os criadores podem estipular exatamente por quanto e onde a sua música será vendida, além de desenvolver estratégias próprias de divulgação que atenda às suas necessidades e do público.

Acompanhe o Estrombo nas redes sociais: Twitter, Facebook e YouTube.

Foto: Die Felsen im Studio, por scytale, CC BY 2.0

Sebrae/RJ leva músicos ao Festival Back2Black, em Londres

Back2Black

O evento, que visa promover a cultura africana, foi realizado no Centro Cultural Old Billingsgate, onde foram montados três palcos para que mais de 30 artistas ingleses, africanos e brasileiros pudessem mostrar seus talentos musicais

Rio de Janeiro – Integrantes e gestores do projeto de música Estrombo, idealizado e apoiado pelo Sebrae/RJ, foram convidados para conhecer e participar do Festival de Música Back2Black, realizado em Londres, de 29 de junho a 1º de julho. O evento, que visa promover a cultura africana, foi realizado no Centro Cultural Old Billingsgate, onde foram montados três palcos para que mais de 30 artistas ingleses, africanos e brasileiros pudessem mostrar seus talentos musicais. O Festival faz parte de um calendário de eventos pré-olímpicos, organizado para divulgar as Olimpíadas de Londres.

O Sebrae/RJ, por meio do Estrombo, promoveu a internacionalização da música brasileira divulgando o trabalho dos artistas integrantes do projeto. Durante os três dias de evento foram promovidos encontros empresarias para estimular a troca de experiências e conhecimento entre artistas e produtores brasileiros e estrangeiros. Além disso, cantores, músicos e produtores consagrados da música popular brasileira, como Gilberto Gil, Mart’Nália, DJ Sany Pitbull, entre outros, passaram no estande para conhecer o trabalho da nova geração de músicos e trocar ideias com os novatos. Todos foram unânimes ao ressaltar a importância do Sebrae/RJ e do projeto Estrombo na profissionalização e no gerenciamento de pequenos negócios ligados a indústria da música. Também passaram por lá editores da revista Songline (uma das principais revistas de música da Europa), representantes de rádios locais e internacionais e diretores da Associação Britânica da Música Independente. Todos esses encontros foram gravados e os vídeos estarão disponibilizados no site oficial do Estrombo.

Visitantes do mundo inteiro, que passaram pelo estande do Sebrae/RJ, tiveram a oportunidade de ouvir e conhecer as músicas dos artistas do projeto Estrombo, disponibilizadas em vários iPads espalhados pela sala.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook