Tags

Archive for abril, 2012

Música e rede social: usos criativos do Twitter na circulação

Estúdio Musical

Em março, o Twitter completou seis anos de vida. A mania começou instigando os usuários a responderem em seus tweets a pergunta “o que você está fazendo?” e, desde então, a ferramenta foi abraçada por toda sorte de público e utilizada para diversos fins. Observando a movimentação musical que acontece na rede social, o próprio Twitter criou uma conta para cuidar de informações relacionadas à música, o Twitter Music.

Em um post recente no blog institucional, o Twitter coletou diversos casos de uso da ferramenta por músicos, fornecendo dicas para novatos nesse universo. Em primeiro lugar, os artistas podem criar uma representação autêntica no site, pois é muito comum que o próprio atualize sua conta, de forma mais pessoal ou profissional. E os artistas podem se conectar com o público das mais diversas formas:

Fotos
Além de usar poder utilizar o próprio Twitter para hospedar e compartilhar as fotos, os usuários podem usar outros serviços integrados à plataforma, como o Instagram [Link para post], um dos mais populares aplicativos de foto atualmente;

Hashtags
Através das hashtags, o Twitter consegue agrupar e armazenar a informação sobre determinado assunto e as mais populares aparecem em destaque no site. Seja criativo, se inspire em outros casos e crie hashtags para lançamentos de novos trabalhos, shows de turnê, etc.

Entrevistas com fãs
Qual o público que não está sempre bem disposto a saber mais sobre a sua história? Tire uns minutinhos de folga e convidepeça para os seus fãs a te entrevistarem.

Colaboração
Outra forma de se engajar com o seu público é fazer chamadas para que ele ajude você na produção de novas músicas, capas de discos ou até mesmo para decidir o setlist do show.

***

De fato, são vários e criativos os usos que os músicos fazem do Twitter. Como você utiliza a ferramenta?

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Como aproveitar as mudanças na fanpage do Facebook

No fim de março, todas as páginas do Facebook passaram a se apresentar, automaticamente, no formato “Timeline”. A partir de uma demanda que surgiu na própria rede do Estrombo, desenvolvemos esse post com o objetivo de apontar algumas das principais mudanças e mostrar como bandas e empreendimentos musicais podem tirar o máximo proveito do novo formato.

Goste-se ou não, a “Timeline” tira um pouco do aspecto institucional das páginas, deixando-as mais parecidas com um perfil. Essa é uma boa oportunidade para personalizar a sua marca, seja uma empresa ou uma banda. Uma forma de fazer isso é acrescentar eventos marcantes na linha do tempo. Você pode fazer isso ao passar o cursor do mouse pela linha vertical localizada no meio da página. Ao acrescentar a data e a descrição do “evento”, o usuário posiciona a publicação no período determinado. Seja criativo e, além de publicar datas de shows, conte a história da sua banda na ordem que deve ser contada: sua criação, participação em feiras de negócios, lançamento de promoções, posts e críticas sobre a banda. Quanto mais pessoal a abordagem, mais faz sentido – afinal, essa é uma oportunidade única para você contar a história da sua banda na medida que eventos marcantes acontecem.

Uma possibilidade trazida com a “Timeline” é a de colocar alguns posts em destaque. Estes aparecerão no topo da página e serão os primeiros vistos por quem acessá-la. O espaço privilegiado pode conter datas de turnê, o videoclipe novo ou uma discussão relevante relacionada à marca.

Outra estratégia – que vale para qualquer rede social – é estimular o engajamento do seu público em debates interessantes. Sempre que possível, chame os fãs para participar através de uma pergunta. Peça ajuda para eles escolherem o setlist ou, até mesmo, busque assuntos relacionados e peça a opinião do seus visitantes. A polêmica recente envolvendo o Ecad foi, por exemplo, uma boa oportunidade para ver como os seus fãs se posicionam em relação ao assunto e buscar soluções conjuntamente.

Utilize também o espaço da “Foto de Capa” com uma imagem relevante e chamativa. E preste atenção aos tamanhos. A imagem deve ter 850 x 315 pixels. Faça mais de uma foto e troque com certa frequência.

Por fim, outra mudança importante foi a implementação de ferramentas de análise mais precisas. Agora, elas funcionam em tempo real e você pode ver a repercussão de um post minutos após publicá-lo – antes, era preciso esperar um ou dois dias. E vale lembrar: preste atenção no horário que o seus fãs ficam online para publicar quando eles puderem receber a história em seus próprios feeds. Afinal, não adianta ter trabalho para criar posts interessantes se quase ninguém for vê-los. Ainda na ferramenta de análise, o dono da página pode visualizar o alcance de suas interações, ou seja, quantas pessoas viram e quantas curtiram ou comentaram. É possível ver também o potencial de “viralização” das suas atualizações. Esse índice mede quantas pessoas que receberam o seu post estão “falando sobre ele”.

Como você está utilizando a Timeline do Facebook? Compartilhe com a gente a sua opinião e suas estratégias para tirar o máximo proveito do novo formato.

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Foto: Mixdown!, por spaceamoeba, CC BY-SA 2.0

BM&A Seleciona artistas para CD Promocional até 30/4

Mixer Table - kaktuslampa - 4148659452 - CC BY-SA 2.0

A BM&A, em parceria com a Apex-Brasil, está preparando para o próximo trimestre de 2012 mais um CD promocional.

O disco terá uma tiragem de mil unidades e será acompanhado por um livreto contendo informações sobre cada artista, contatos para shows, gravadora e fotos. Os textos deste encarte serão todos em inglês, pois os CDs serão distribuídos aos nossos clientes e contatos internacionais incluindo radialistas, jornalistas, empresários, selos, entre outros.

O novo CD Promocional será voltado a artistas e produtores de gêneros como dub, reggae, hip hop ou estilos similares – por exemplo Nação Zumbi.

Para participar do processo de seleção das faixas, os artistas/selos/produtores devem se cadastrar clicando aqui: http://bit.ly/GRSwEi.

Após realizar o cadastro, envie as faixas que consideram mais adequadas para a inclusão no disco promocional através do canal Soundcloud: http://bit.ly/GRSrkc.

Não há limite de faixas para upload e o prazo para o envio é dia 30 de abril de 2012.

O ultimo CD promocional esta no Top 10 de execução nas rádios de world music na Europa, e vai entrar nas rádios universitários nos EUA em maio.

Fonte: Brasil Music Exchange

Foto: Mixer Table, por kaktuslampa, CC BY-SA 2.0

Quer saber quanto você vale para os fãs? Veja no “TastemakerX”

Microphone - flickr - ernestduffoo - 5741454316 - CC BY 2-0

A ideia de gameficação está cada vez mais presente no mundo da música, principalmente nas novas tecnologias digitais. São diversos os exemplos de artistas e plataformas que usam mecânicas dos games para conquistar fãs e oferecer uma nova maneira de consumir música.

Nessa direção, o TastemakerX é um jogo social para dispositivos móveis que, de uma maneira bem particular, simula uma bolsa de valores para artistas tendo os fãs como investidores. O objetivo é oferecer uma amostra dos gostos musicais dos usuários e quais bandas estão ficando mais populares em tempo real, medindo a influência e o “valor” dos artistas. Os fãs ganham mais pontos quando descobrem e investem nas bandas e os artistas se tornam mais valorizados quando mais usuários investem nele. Nesse ciclo, o fã ganha mais pontos à medida que o artista é valorizado, podendo investir em novos músicos ou trocar suas “ações” por outras. O valor das bandas é calculado através de um algoritmo que captura dados sobre elas, como os likes, o número de fãs, execuções de músicas e álbuns.

No ecosistema digital, a gameficação da cultura é uma estratégia extremamente válida para oferecer a todos os agentes da cadeia produtiva da música meios inovadores de navegar pelo cenário atual. Por enquanto, o aplicativo TastemakerX possui “somente” poucos milhares usuários e está disponível apenas na Apple Store dos Estados Unidos, mas vem se destacando no mundo das startups.

Outra discussão importante que o aplicativo traz é a valorização de novas moedas. O fã sempre foi um influenciador importante e, nas redes sociais, suas preferências musicais são publicizadas o tempo todo. O TastemakerX entendeu isso e criou uma ferramenta para “monetizar” o seu gosto, ainda que na forma de um jogo. Caso o app vingue, pode se tornar uma das muitas ferramentas de análise e visualização da popularidade de determinadas bandas, influenciando até decisões empresariais, como escolher a melhor data para lançar um disco, ou mesmo quais são as cidades e casas mais apropriadas para fazer shows.

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Foto: Microphone, por ernestduffoo, CC BY 2.0

Inovação no negócio da música: fruto de trabalho e informação

Die Felsen im Studio - flickr - scytale - 5349316885 - CC BY 2-0

Negócios inovadores não caem do céu. A celebração de novos modelos de negócio e canais de distribuição para a música podem levar a crer que “basta uma boa ideia”. As boas ideias são o ponto de partida principal, mas não se deve parar por aí. Até tirar o projeto do papel, o empreendedor deve passar por uma série de etapas, como: registrar a ideia, planejar seu percurso, montar um plano de negócios e se aliar com as pessoas certas – afinal, mesmo na internet, duas ou mais cabeças continuam pensando melhor do que uma.

As novas tecnologias digitais são um amplo campo de oportunidades ainda por explorar. No caso da música, seja através das redes sociais ou dos aplicativos móveis, empreendedores investem tempo e dinheiro na criação de seus negócios próprios. Muitas das soluções ainda não são a solução final para o “problema” enfrentado pela música ao longo dos últimos dez anos, mas são fagulhas de inspiração prontas para serem aproveitadas por outras pessoas. Assim, o ciclo de inovação não se completa nunca, com muitas boas ideias surgindo o tempo todo.

Na internet, futuros empreendedores encontram um banco enorme – e alimentado continuamente – de informações sobre etapas que precisam ser percorridas e até mesmo experiências de outros profissionais. Outra fonte de informação importante é o próprio SEBRAE/RJ, que presta assessoriasobre maneiras de formalizar o seu negócio, impostos que deverão ser recolhidos e como montar o plano de negócios.

Uma boa ideia, seja para o mercado da música ou qualquer outro, só nasce depois de muita informação e trabalho. Dê o primeiro passo!

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Dica de leitura: Um raio-X do empreendedor digital brasileiro

Foto: Die Felsen im Studio, por scytale, CC BY 2.0

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook