Tags

Posts com a tag ‘Estrombo

Workshop Monetização e ferramentas Youtube

Workshop Monetização e ferramentas Youtube

O  SEBRAE/RJ e a ABMI Associação Brasileira da Música Independente, no dia 15/10, de 10h às 12h, no CRAB, promovem:

Workshop Monetização e ferramentas Youtube

Conteúdo:

- Youtube overview: história, números, comparativo com serviços semelhantes;

- Ferramentas disponíveis para monetização do conteúdo: tipos de parceiros, que tipo de usuário pode acessar cada tipo de ferramenta (canal oficial, content ID, premium partner, etc);

- Recomendações (quando o artista ou o selo deve optar por ter um parceiro que administre seu conteúdo no Youtube)

- Google+ e HangOut

- Google Play

- Desenvolvimento de audiência no YouTube

- Novidades

Quem pode participar?

Músicos, artistas, produtores, selos, gravadoras, associados ou não à ABMI, e cadastrados no projeto Estrombo RJ.

Inscrições:

abmi@abmi.com.br

WORKSHOP ONERPM-RJ: Aumentando visibilidade e receitas na música digital

WORKSHOP ONERPM – RIO DE JANEIRO
Local: Auditório do Sebrae RJ – Rua Santa Luzia, 685 / 9º andar – centro

Data: 23 de Setembro, das 15 às 18hs.

Apresentado dicas práticas e desvendando alguns segredos, a ONERPM – uma das maiores distribuidoras de música digital do país – promoverá um Workshop dedicado a artistas, músicos, selos e demais interessados, sobre como aumentar a visibilidade e a rentabilidade da música no YouTube, iTunes, serviços de streaming e Redes Sociais.

O Workshop acontecerá dia 23 de Setembro, no Auditório do SEBRAE RJ (Rua Santa Luzia, 685 / 9º andar – centro) e terá duração de 3 horas. Após o evento, os participantes receberão um e-book com os principais pontos apresentados.

Esse workshop é direcionado para as pessoas que trabalham com música (músicos, executivos, estudantes e entusiastas), que queiram aumentar sua exposição no mundo digital, expôr melhor o artista para que consiga diversas receitas e resultados e como utilizar as ferramentas de distribuição digital da música.

WORKSHOP ONERPM-RJ: Aumentando visibilidade e receitas na música digital

P!nk é eleita mulher do ano por revista especializada em música


Nem Madonna, detentora da turnê mais lucrativa dos últimos tempos; nem Rihanna, dona de uma carreira altamente produtiva; ou muito menos Adele, tida por muitos como a cantora mais talentosa da atualidade. De acordo com a revista Billboard, a “Mulher do Ano de 2013″ é a roqueira P!nk. → http://bit.ly/165M7H8

Estabelecimentos que usam música devem pagar direitos autorais?

Você sabia que todo estabelecimento comercial que usa música ao vivo ou ambiente é obrigado a pagar os direitos autorais aos compositores? A cobrança é feita pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), que repassa parte dos valores cobrados aos artistas.

Quem deixa de recolher o Ecad pode responder judicialmente e ainda está sujeito ao pagamento de multa. Pode ser ao vivo no barzinho, na tela do cinema ou da TV, como som ambiente em academias, supermercados, lojas. Ou em grandes espetáculos, como shows.

A música diverte, acompanha, relaxa, mas também é um produto, resultado da criação de artistas que tem o direito de serem pagos pelas obras que fizeram. A garantia está na lei dos direitos autorais. A instituição privada, sem fins lucrativos, cobra uma taxa sempre que músicas são tocadas em locais de uso coletivo.

Além das emissoras de rádio e TV, devem pagar direitos autorais lugares que apresentam músicas, como: restaurantes, bares, lanchonetes, supermercados, shopping centers, lojas, cinemas, consultórios, clínicas salões de beleza, academia de ginástica, hotéis, boates, casas de shows e eventos culturais como carnaval e São João.

Para receberem os valores, os compositores devem estar filiados em associações de artistas que definem os valores a serem arrecadados pelo Ecad e repassam o dinheiro aos compositores. Os valores do direito autoral são calculados de acordo com o tamanho da área, da população do lugar e a importância da música para o estabelecimento. Uma boate, por exemplo, vai pagar mais que uma loja comercial.

“O que é repassado para essas pessoas. São elas as criadoras dessas músicas”, disse Luís Fernando Calvet, gerente da Unidade do Ecad no Maranhão.

Quem não paga o direito autoral responde na justiça por usar as músicas sem autorização e pode pagar até 20 vezes o valor que deveria ser pago. Quem está em dias com as obrigações sabe que o mais importante não é quanto se paga, mas o quanto se lucra usando as músicas de um autor que deve ser retribuído.

Com informações dos sites G1 e Caderno3.

Em seis dias, clipe com Miley Cyrus nua supera 100 milhões de acessos

Segundo Vevo, vídeo ‘Wrecking ball’ é o mais rápido a alcançar a marca. Recorde anterior era da própria cantora, mas ela havia demorado 37 dias.

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook