O Projeto

Em dezembro de 2010, o FOMIN/BID (Fundo Multilateral de Investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento), o SEBRAE, a Fundação Getulio Vargas (Centro de Tecnologia e Sociedade) e o site Facebook se unem para lançar projeto pioneiro de economia criativa focado no desenvolvimento da indústria da música do Estado do Rio de Janeiro através do uso das novas tecnologias.

A economia criativa é mundialmente reconhecida como um setor de forte desempenho econômico e potencial de inovação. Entretanto, a cadeia produtiva da música ainda carece de fomento à profissionalização e formalização para atingir seu potencial estratégico na geração de renda e de empregos.

Dentre as indústrias criativas, a música se destaca hoje como a mais impactada pelo uso das tecnologias digitais em sua produção, disseminação, distribuição e consumo.

Em função desse cenário, o projeto Estrombo tem o objetivo de capacitar, formalizar e apoiar, ao longo de três anos, pessoas e empreendimentos do ramo musical para atuarem em novos modelos de negócios e novos canais de distribuição baseados na internet e nas novas tecnologias. O objetivo é que o mercado se fortaleça e forneça soluções para essa integração com novos canais de distribuição — como, por exemplo, o desenvolvimento de aplicativos para redes sociais e celulares e a integração de músicas com os games em redes como a Rock Band Network, dentre outras.

Este é o primeiro projeto de economia criativa a ser apoiado pelo BID no mundo, e visa servir de modelo para implementação de ações semelhantes em outros países latino-americanos.

As ações previstas para o projeto Estrombo incluem ainda capacitação presencial e online sobre novos modelos de negócio no ambiente digital, direitos autorais nas novas mídias, empreendedorismo e formalização no mercado da música. O projeto também mapeará a cadeia produtiva da música do Estado do Rio de Janeiro, como forma de subsidiar políticas públicas voltadas para o desenvolvimento e formalização do setor, e incentivará a música emergente das periferias, com sua força econômica e circuitos próprios.

Um aspecto importante do Estrombo é, também, o apoio à maior integração da cadeia produtiva da música, incluindo: artistas, produtores, casas de shows, lan houses, DJs, fotógrafos, estúdios, escolas, universidades públicas e privadas, webradios, jornalistas, produtores, coletivos, artistas gráficos, figurinistas, técnicos de som e luz, cenógrafos, game designers e outros profissionais importantes para o desenvolvimento da música nesses novos tempos.

Acompanhe as ações do Estrombo no Twitter e no Facebook e participe.

Sobre o SEBRAE: http://www.sebrae.com.br e http://www.sebraerj.com.br
Sobre o CTS-FGV: http://direitorio.fgv.br/cts
Sobre o FOMIN/BID: http://www.iadb.org/mif

Contatos:

SEBRAE RJ: Heliana Marinho – Diretora do Projeto

Marília Sant’Anna – Líder do Projeto no SEBRAE RJ

FGV: Ronaldo Lemos – Diretor do Centro de Tecnologia e Sociedade

FOMIN/BID: Luciano Schweizer

Be Sociable, Share!

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook