Blog

Pensar “fora da caixa” para fazer negócios pela internet

Be Sociable, Share!

Foto: Guitar Study 1, por fmerenda, CC BY-SA 2.0

A música não surgiu no mundo como algo a ser trocado por dinheiro. Somente com o desenvolvimento de uma série de tecnologias que a música passou a ser entendida como uma mercadoria. O mercado de partituras, por exemplo, é o ponto de início da indústria fonográfica, que só com a chegada dos discos e aparelhos de reprodução aprtesentou contornos do que conhecemos hoje. Foram muitas décadas de evolução tecnológica até chegarmos ao momento atual.

Mudanças na produção, distribuição e no consumo

Hoje, o negócio da música está sendo reinventado de todos os lados. Na produção, bandas e artistas encontram no crowdfunding, nas parcerias com empresas e em editais públicos, formas de criar a sua música sem depender necessariamente da chancela de uma gravadora. Já os novos canais de distribuição incentivam tanto bandas quanto selos e empreendedores a explorarem mídias sociais, aplicativos móveis e lojas online, sem precisar competir com outros produtos nas prateleiras das lojas. O papel do fã também é severamente ressignificado nesse cenário. Os consumidores não são “apenas” fãs, pois desempenham papéis de críticos, produtores, financiadores e distribuidores de material musical.

Gerar novos negócios com música envolve levar todos esses fatores em consideração para pensar “fora da caixa”. Mesmo que não exista uma fórmula de sucesso, uma série de estratégias podem trazer visibilidade para o seu produto na internet (e fora dela), facilitando a realização de negócios: utilização de vídeos de divulgação, competições criativas entre os fãs, produção colaborativa, interação em mídias sociais, distribuição online por empresas terceirizadas são algumas amplamente utilizadas.

Como você gera novos negócios de forma criativa?

Acompanhe o Estrombo também nas redes sociais: Twitter, Facebook e YouTube.

Foto: Guitar Study 1, por fmerenda, CC BY-SA 2.0

Be Sociable, Share!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook