Blog

Curadoria de blogs e filtros na crítica musical: como funciona?

Be Sociable, Share!

Hype Machine | Zeitgeist 2011

Na rede, existem milhões de sites e blogs sobre música. Com ferramentas de publicação disponíveis gratuitamente, é usual pessoas extravasarem seu lado crítico usando o teclado para expressar suas opiniões sobre músicas, álbuns e bandas. A facilidade de encontrar na internet dados, fotos, vídeos e streaming de música torna esse trabalho ainda mais complexo e eficiente. Assim, a pluralidade de vozes críticas aumenta exponencialmente, informando sobre e criticando música sob diferentes pontos de vista.

Mas o que fazer com essa informação toda?

Ao mesmo tempo que é importante perceber a pluralidade de vozes no ambiente online, é cada vez mais difícil dar conta de todas fontes e absorver tudo o que é apresentado e discutido. Assim, é preciso recorrer a filtros para organizar o fluxo de informações na rede.

Existem dois sites, entre outros, que fazem esse trabalho, cada um à sua maneira: o Hype Machine e o Shuffler.fm. Ambos “coletam” músicas publicadas nos mais diversos blogs e destrincham e categorizam a informação para o ouvinte.

No caso do Hype Machine, as faixas curadas nos blogs são separadas em seções como latest (publicações mais recentes), popular (artistas, buscas e blogs mais populares no momento) e zeitgeist (os 50 melhores artistas, álbuns e músicas do ano anterior), entre outras.

Já o Shuffler.fm se define como “uma revista feita por blogs de música”. Ele usa o critério de gênero musical para separar as faixas publicadas pelos blogueiros. Assim, o usuário pode escolher que tipo de som ouvir: indie, pop, female vocalists, hip hop, dubstep, rock, entre muitos outros. Claro que há intercessões, ou seja, uma mesma música pode ser enquadrada em mais de um gênero. E além de funcionar no navegador, o Shuffler.fm também é um aplicativo para iPad.

Esses são só alguns exemplos que apontam para a importância – e necessidade – de filtros na rede. De que adianta uma infinidade de conteúdo ser publicado se ele não será organizado para chegar ao consumidor final? É claro que não podemos deixar de considerar um problema dessa curadoria: ela é bastante subjetiva. Afinal, os editores dos sites escolhem quais blogs servirão como fonte de informação. De toda forma, o ponto a perceber é a necessidade de filtros. Quando mais filtros, mais diversidade na curadoria e mais música chegando ao ouvinte.

Acompanhe o Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook e YouTube.

Be Sociable, Share!

Posts relacionados

5 comentários

  1. [...] já falamos em outro post, esses veículos são cruciais na cultura digital para fazer a mediação de novas músicas e [...]

  2. Acredito que o excesso de informação já chega a ser um problema. Como blogueiro, tento escolher bem os temas que abordarei pensando em não sobrecarregar os leitores com assuntos medianos. Com tanta informação sendo produzida e tantas opções, as publicações que balanceiam quantidade e qualidade tendem a se destacar.

    1. Valeu pelo comentário, Marcelo. Realmente, as mediações são fundamentais: tanto para os leitores diretos do blog, quanto para aqueles que vão entrar em contato com as músicas através das ferramentas que “re-mediam” os conteúdos produzidos pelos blogueiros.

  3. [...] e compartilhá-las com seus contatos no próprio site e em redes sociais. Como já falamos em post anterior, iniciativas como o exfm apontam para os novos tipos de filtros que vêm se articulando pela [...]

  4. [...] bandas por aqui investindo nos seus apps próprios. Em outra direção, existem aplicativos como o Shuffer.fm ou o Exfm, que disponibiliza músicas através de fontes publicadas em blogs, quase fazendo uma [...]

Deixe um comentário

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook