Blog

Plataformas digitais e geração de negócios em música: caso Melody Box

Be Sociable, Share!

A tecnologia digital trouxe problemas e possibilidades para a cadeia produtiva da música. Uma dificuldade apontada pelos artistas, principalmente os independentes, está na promoção da música. Criada no Rio de Janeiro há 6 meses e com cerca de mil artistas cadastrados, a rede social musical Melody Box busca suprir essa carência criando um espaço que atende aos artistas, aos fãs e aos fomentadores de oportunidades, focando na geração de negócios para os profissionais que trabalham com música.

Reunindo influências de plataformas estrangeiras, como o SonicBids, a Melody Box valoriza a importância do fã na divulgação dos artistas, recompensando-os por esse trabalho com itens como camisetas exclusivas, CDs das bandas cadastradas e gadgets como iPods. Outro destaque é a área de negócios, que se divide em oportunidades e profissionais. Na primeira, são publicadas chamadas convocando os artistas para participarem programas de rádio, shows, coletâneas, entre outros. Na segunda, diversos profissionais e empresas oferecem seus serviços, que vão desde assessoria de imprensa a gravação e prensagem de discos.

Como forma de valorizar seus artistas e promover a rede social, foi organizada a primeira coletânea Melody Box, “Fora da Caixa Vol. 1”. Foram escolhidos 12 artistas, que para serem selecionados precisaram fazer uma campanha eficiente entre os fãs para ser parte do projeto – cada artista receberá uma quantia em dinheiro, além de cópias da coletânea e outros incentivos para divulgar sua música. Outra ação da plataforma aconteceu no dia 19 de maio último, o “MB Ao Vivo“, o primeiro evento offline realizado pela Melody Box. Artistas de destaque na rede social tiveram a chance de se apresentar em dois palcos montados no Circo Voador, no Rio de Janeiro. A ideia foi valorizar a experiência musical fora da internet, criando condições para os músicos se apresentarem e interagirem com o seu público incentivador.

A cadeia produtiva da música foi muito impactada pela tecnologia. A Melody Box usou esse impacto a seu favor e buscou se diferenciar no mercado por fazer a ligação entre três grupos de agentes fundamentais: músicos, fãs e demais profissionais e investidores. Uma conexão que torna viável para os artistas divulgarem sua produção, os fãs serem valorizados ao participar ativamente da carreira de seus artistas e para os profissionais e investidores gerarem negócios oferecendo seus serviços e criando oportunidades para os músicos.

Você gostaria de comentar algum caso interessante sobre o assunto?

Acompanhe as novidades do Estrombo também nas nossas redes: Twitter, Facebook, YouTube e Flickr.

Be Sociable, Share!

Posts relacionados

1 comentário

  1. [...] Plataformas digitais e a geração de negócios em música: caso Melody Box – via Estrombo [...]

Deixe um comentário

Farol Digital

 

Siga o @estrombo

Facebook